SECRETARIA DE SAÚDE DE PIUMHI PROMOVE CAPACITAÇÃO SOBRE TUBERCULOSE E SARAMPO

A Secretaria Municipal de Saúde de Piumhi realizou no dia 15 de outubro, na própria sede, uma capacitação sobre tuberculose e sarampo, para os dez enfermeiros e coordenadores da Unidade de Saúde da Família. O principal intuito foi de prepará-los mais profundamente para atender a população do município.

A Referência Técnica do assunto, Daniela Faria, ministrou a palestra: “Tuberculose: testar, tratar e vencer”, informando sobre os critérios de busca ativa dos usuários, ações dos casos suspeitos, importância do diagnóstico como a história clinica, BAAR (Bacilos Álcool-Ácido Resistentes), cultura e agora sobre TRM-TB (teste rápido molecular), que é feito com uma amostra de escarro, com o volume ideal é de cinco ml (no mínimo de dois ml), que deverá ser mantido em refrigeração.

Também foi exposto sobre a atualização do tratamento: esquema, peso x dosagem, o tempo de duração e a importância da pesagem mensal do paciente, bem como a realização do BAAR, enquanto tratamento e a dose supervisionada, e todas as ações com prioridade para o público vulnerável.

A coordenadora da Vigilância em Saúde, Elienay Andrade, ministrou a palestra: “Ações de enfrentamento do Sarampo e a importância do papel da Atenção Primária”, onde abordou os dados de Sarampo no Brasil e em Minas Gerais, o papel da APS (Atenção Primária à Saúde), frisando sobre a vacinação do público alvo (inclusive dos profissionais), notificação imediata dos casos suspeitos; acolhimento e identificação dos casos suspeitos, classificação de risco, busca ativa e acompanhamento dos casos não graves.

Durante a capacitação, foi informado aos presentes sobre os critérios de casos suspeitos, onde todo paciente, independente da idade e situação vacinal, apresentar febre e exantema, acompanhado de um ou mais dos seguintes sinais e sintomas: tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite; ou febre e exantema com história de viagem ao exterior e/ou às regiões com circulação comprovada do vírus nos últimos 30 dias; ou febre e exantema com contato com casos suspeito ou confirmado de sarampo nos últimos 30 dias, devem seguir o fluxograma padrão de atendimento para que todas as ações necessárias sejam realizadas e assim tratamento dos casos e prevenção de disseminação de outros.

As ações mais importantes durante o seguimento deste fluxo são: notificação imediata para vigilância municipal, saber história do paciente (viagens e contatos/ início dos sintomas/estado vacinal), bloqueio vacinal seletivo (até 72 horas) para interromper a circulação do vírus, notificação no SINAN (Sistema de Informação de Agravos de Notificação), preenchimento do roteiro de investigação e a realização da coleta de material para exame.

Todos os participantes ficaram satisfeitos com o resultado da capacitação.

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com